Skip to main content

O uso da madeira se perpetua desde a antiguidade e a utilização dessa matéria-prima tem evoluído consideravelmente. Igualmente, ocorreu com a demanda por madeira durante a pandemia. Este é um dos materiais que apresenta maior diversificação no quesito utilidade, pois, pode ser utilizado para cozinhar, aquecer, compor na fabricação de móveis, armas, utensílios domésticos, construção de casas, decoração arquitetônica e muitas outras coisas.

Mas, porque madeira?

De forma geral a madeira é: versátil, durável, renovável e um material ecologicamente correto.

Vale ressaltar, que mesmo após o surgimento dos primeiros casos de transmissão do novo coronavírus (Covid-19, abreviação de Coronavirus Disease/2019), o setor florestal brasileiro teve motivos para comemorar em 2020. Isso, porque as exportações de madeira serrada e principalmente celulose ganharam mais espaço internacional e registraram aumento na comercialização.

Por outro lado, nesse momento delicado em que vivemos, como pode ser possível a demanda por madeira ter aumentado? Por isso, se você deseja entender o porquê isso está acontecendo, não perca tempo!

Pois este post aborda todo o tema, apresentando as causas de isso estar ocorrendo. Acompanhe o texto pelos tópicos abaixo:

  • Qual a importância do setor florestal na sociedade?
  • Boa etapa do setor florestal.
  • Quais fatores levaram ao aumento da demanda por madeira na pandemia?

Qual a importância do setor florestal na sociedade?

demanda por madeira na pandemia

O Brasil está entre o top 3 dos principais produtores de celulose, papel e painéis de madeira no mundo. O país conta com uma área total de aproximadamente 9 milhões de hectares de florestas plantadas. Com isso, o setor florestal brasileiro é responsável por 6,2% do PIB Industrial no país.

A produção de madeira contribui para a balança comercial, já que no primeiro semestre de 2020, os produtos da indústria de base florestal chegaram a US$ 4,2 bilhões em comercializações com outros países, segundo o boletim Cenários Ibá, produzido pela Indústria Brasileira de Árvores (Ibá).

A geração de empregos é outro fator positivo indiscutível, visto que no ano de 2019 o setor gerou 513 mil trabalhos diretos. Estimou-se que eram gerados aproximadamente 3,8 milhões de serviços diretos, indiretos e derivados do efeito renda da atividade de base florestal. Frente à crise severa de desemprego, agravado mais ainda devido a pandemia, podemos destacar que o setor florestal está contribuindo positivamente nesse aspecto.

Adicionalmente, a indústria de árvores plantadas é responsável por gerar a maior parte da energia gasta nos seus processos produtivos. Pois, as empresas do setor utilizam quase que unicamente subprodutos de seus processamentos para a geração de energia térmica e elétrica, tais como o licor negro, oriundo da produção da celulose e a biomassa florestal.

Boa etapa do setor florestal

Mesmo estando diante de um ano pandêmico, que foi o período de 2020, e que ainda perdura em todos os setores. Porém, está sendo possível ampliar o espaço da madeira brasileira no mundo, consequentemente, ocasionando negócios em novos mercados.

Essa boa etapa do setor deve-se a forte demanda no mercado externo. Este, por sua vez, está sendo promovido pela diferença cambial, o que oportunizou uma elevação nos níveis de produção.

Segundo uma pesquisa feita pela empresa Unylaser(2021), informa que de acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), os produtos florestais (madeira e celulose) movimentaram, em 2020, US$ 11,41 bilhões em negócios no exterior. Trata-se de um aumento de 11,3% em relação a 2019.

Já o primeiro trimestre de 2021 fechou com aumento na produção de celulose (8%). Além disso, o crescimento nas vendas domésticas e exportação de painéis de madeira (25,3% e 7,3%), as importações e exportações nessa fase trimestral são maiores se comparadas com a do ano anterior.

Ainda, outro fator relevante são os investimentos estrangeiros e nacionais: na parte de investimento estrangeiro refere-se ao possível projeto de lei 2.963 de 2019 que flexibiliza a aquisição de terras por empresas estrangeiras no país. Há também mais fundos nacionais no setor florestal, que vêm a aplicação em florestas como uma boa saída para bonificação de capital.

Quais fatores elevaram a demanda por madeira na pandemia?

A alta no dólar tornou a madeira brasileira mais competitiva no mercado internacional. Também está havendo uma falta desta matéria-prima nos EUA, principalmente a serrada. Isso gera maior procura e consequentemente a venda por valor mais elevado.

A construção civil é um dos principais adquirentes da madeira. Vale ressaltar que essa matéria-prima é essencial nas obras, devido a ela estar presente desde a fundação até o acabamento. De acordo com a Câmara Brasileira da Indústria da Construção Civil (CBIC), foi divulgada a estimativa de crescimento entre 5% e 10% para o ano de 2021.  

Há uma grande expectativa no setor de celulose brasileiro para novos projetos de plantas de celulose. Por exemplo, com a conclusão do processo arbitral envolvendo a Paper Excellence e o Grupo JBS, pela disputa da Eldorado Celulose, é provável o que ocorra o anúncio da expansão da fábrica localizada em Três Lagoas.

O mercado vem expandindo, países como Alemanha, Canadá e os Estados Unidos estão sendo mais atraídos pelos produtos florestais brasileiros. Logo, essa é uma oportunidade de iniciar seus investimentos e/ou vendas.

Portanto, devido a esses e outros aspectos, é fundamental ter um conhecimento do mercado atual.

Se você quer saber sobre o mercado florestal conte com a experiência da Smart3, somos especialistas em consultoria florestal.

Com essa ajuda, você conseguirá comercializar seu produto e com garantia de estar obtendo um excelente serviço!

Conheça nosso trabalho, entre em contato conosco e saiba como podemos te ajudar.

Por Kétlin G. Calixto, da Smart3.

Leave a Reply

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.