Skip to main content

Ouvimos constantemente sobre as mudanças climáticas que o planeta está sofrendo, ocasionadas principalmente pelo aquecimento global. Mas já parou para pensar quais os impactos diretos que essas mudanças climáticas estão gerando no setor florestal? E como o plantio florestal contribui positivamente para essa temática? Vamos entender nesse artigo como o setor florestal está lidando com essas mudanças.

A dependência climática do setor florestal

O setor florestal atua, principalmente, com Eucalyptus e Pinus, duas espécies utilizadas para a produção de celulose, papel, painéis de madeira, madeira serrada, dentre outras. O Brasil é um dos maiores produtores do setor, exportando para o mundo todo e trazendo uma participação de 6,2% no PIB industrial do país.

Sendo um setor que depende diretamente das condições já previstas da natureza, como estação, chuva, temperatura e solo, as mudanças climáticas geram ainda mais desafios para o setor, trazendo condições inesperadas e muitas vezes irreversíveis.

Quais as consequências ambientais que as mudanças climáticas ocasionam

Estudos do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), órgão originado pela Organização Meteorológica Mundial (OMM) e pela ONU Meio Ambiente, mostrou que 90% do motivo do aquecimento global é humano.

As consequências dessas atitudes humanas são diversas, incluindo: falta de água, estiagem, severidade das pragas, geadas, calor, chuvas e ventos intensos. Por exemplo, na agricultura, essas alterações nas chuvas são extremamente prejudiciais já que 95% das áreas agrícolas dependem das chuvas e somente 5% utilizam a irrigação. Só em 2017, os produtores do Distrito Federal perderam de faturar 600 milhões de reais devido à falta de água.

Imagens captadas por satélites pela Global Forest Watch (GFW) mostraram que em 2015 foram perdidos quase 20 milhões de hectares de florestas e em 2016 foram quase 30 milhões de hectares. Sendo que o ano de 2016 marcou condições climáticas ainda mais atípicas, com o El Ninõ, que facilitaram a ocorrência de incêndios devido às altas temperaturas. Nesse mesmo ano o desmatamento foi responsável pela emissão de 1,6 GtCO2e (sigla que representa bilhões de toneladas de CO2) no Brasil, contabilizando mais da metade das emissões do país.

O aquecimento global, e consequentemente o aumento da temperatura, traz danos que podem ser irreversíveis às florestas, já que as árvores podem não conseguir se adaptar e ocorra a extinção caso o aquecimento continue nesse ritmo.

Como o plantio florestal pode atuar nas mudanças climáticas

O dióxido de carbono é um dos principais componentes emitidos que causam o aquecimento global e consequentemente as mudanças climáticas. Por isso seu controle é de extrema importância se pararmos para pensar na qualidade de vida atual e nas próximas gerações.

De acordo com a Ibá (Indústria Brasileira de Árvores), o plantio florestal tem o potencial de mitigar consequências das mudanças climáticas se esforços forem aplicados para que haja um aproveitamento dessa capacidade de remoção e estoque de carbono. Para dar uma perspectiva, é estimado que uma área de 9 milhões de hectares de plantio florestal no Brasil estoca em média 1,88 bilhão de toneladas de dióxido de carbono equivalente.

A indústria de árvores plantadas se baseia em dois segmentos: florestal e fabril. Enquanto o florestal representa as florestas plantadas e de conservação de florestas naturais, o fabril lida com a produção de celulose, papel, carvão vegetal, chapas, painéis, etc.

O reflorestamento, com florestas de produção, e a conservação de florestas nativas, nos quais o segmento florestal atua, trazem como benefício justamente o potencial de estocagem e remoção de carbono. Já no segmento fabril, devido às novas medidas adotadas recentemente, está havendo uma substituição de fonte energética fósseis por fontes renováveis, gerando uma diminuição drástica na emissão de gases causadores do efeito estufa.

Apesar que ainda haja um longo caminho para mudanças que tragam resultados realmente significativos e que dependa de diversos tipos de indústrias, o setor florestal possui um grande potencial de contribuição para a melhoria das mudanças climáticas. Por isso, além das vantagens econômicas, o investimento no setor traz consideráveis vantagens ambientas, sendo atrativo tanto para o setor público quanto privado.

Como investir no setor?

Se você possui interesse em saber mais sobre o setor florestal e como investir na área, a Smart3 é uma consultoria empresarial especialista no setor e pode te ajudar a planejar seu negócio com as melhores práticas do mercado. Deseja saber mais? Entre em contato com um dos nossos especialistas.

FALE CONOSCO

Leave a Reply

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.