Skip to main content

Atualmente, os empresários precisam enfrentar um novo desafio para a continuidade do negócio: a sustentabilidade.

Isso porque as estratégias sustentáveis são tendências no momento, tendo em vista o protagonismo das empresas verdes no mercado.

Por isso, se a sua empresa tem como missão construir um mundo melhor e mais sustentável para as gerações atuais e futuras, é preciso monitorar os impactos socioambientais.

Bem, em primeiro lugar, é preciso compreender que essa preocupação não deve surgir em momentos de crise e escândalo.

Na verdade, discutir os impactos econômicos, sociais e ambientais das organizações deve ser uma pauta fixa nas empresas.

Nesse cenário, para equilibrar os interesses das empresas, stakeholders e questões socioambientais, existe uma ferramenta chamada Matriz de Materialidade.

Através dela, é possível priorizar os temas desse cunho que são mais relevantes para o negócio.

Continue a leitura e saiba como essa pode ser uma boa forma de guiar a estratégia sustentável da sua empresa!

O que é Matriz de Materialidade?

A matriz de materialidade é uma ferramenta de gestão amplamente utilizada pelas organizações para compreender quais são os assuntos mais relevantes para ela.

Cada empresa tem as suas necessidades e contexto próprio. Por isso, a Matriz de Materialidade deve ser elaborada conforme a estratégia de negócios.

Não somente, ainda é necessário compreender a percepção de impactos dos stakeholders.

Dessa forma, a matriz de materialidade é construída sob um eixo cartesiano, onde o eixo y apresenta o nível de prioridade de um tema na percepção dos Stakeholders.

Já no eixo X temos o que é visto como prioridade para a empresa.

Sustentabilidade e a Matriz de Materialidade

Com relação a sustentabilidade, a Matriz de Materialidade é uma importante ferramenta, tendo em vista a sua assertividade e fácil visualização gráfica.

Por isso, é comum que as organizações adotem essa estratégia para identificar em que situações a empresa tem causado maiores impactos negativos.

Consequentemente, a decisão sobre como lidar com essa situação e mudar para uma estratégia mais sustentável é mais assertiva.

Além disso, a Matriz de Materialidade é uma ótima ferramenta para a previsão de riscos, identificação de oportunidades e desenvolvimento de uma liderança em sustentabilidade.

E sabe por que a Matriz de Materialidade é tão eficiente para as questões relacionadas à sustentabilidade?

Bem, essa metodologia permite que os stakeholders internos e externos à empresa interfiram na decisão de forma ativa.

Assim, através de verificações de documentos e materiais, realização de benchmarking, oficinas presenciais e pesquisas secundárias, é possível chegar a uma decisão equilibrada.

Passos da criação da Matriz de Materialidade

Para a criação de uma Matriz de Materialidade realmente eficiente, é necessário identificar quais são os temas importantes para os stakeholders e para o negócio.

Tendo em vista a complexidade da seleção das prioridades, a criação da Matriz de Materialidade requer que a empresa siga alguns passos essenciais.

Por isso, elencamos abaixo quais são eles. Acompanhe:

1. Identificar temas

A primeira atitude que a equipe de criação deve realizar é a identificação dos temas que têm um maior impacto nos negócios.

Nessa etapa, ocorre o engajamento dos stakeholders internos e externos, análise de mídia, e a discussão sobre um benchmarking de sustentabilidade.

Vale lembrar que os temas priorizados devem ser aqueles que têm alta relevância para a empresa e também alta relevância para os stakeholders.

Por exemplo, na Matriz de Materialidade da Natura de 2012, o consenso é que a educação, resíduos, água, mudanças climáticas, qualidade das relações, sócio biodiversidade e empreendedorismo sustentável eram as prioridades.

Quando ocorre divergência de relevância entre as partes, é possível fazer a gestão da seguinte forma:

  • Temas que são de alta relevância para stakeholders, mas não para a empresa, devem entrar no plano de comunicação e relatórios de sustentabilidade.
  • Temas de alta relevância para a empresa, mas não para os stakeholders devem ser administrados devido a criação de valor.

2. Avaliar o impacto no negócio

Os temas que foram previamente selecionados devem ser avaliados quanto ao impacto que geram para o negócio.

Por exemplo, o tema ajuda a reduzir custos? Melhora a posição no mercado? Cria valor para a empresa? Cria poder de precificação?

É possível avaliar tudo isso através dessa ferramenta que escalona a relevância de cada tema.

3. Avaliar a percepção de stakeholders

Os stakeholders são peças fundamentais para a continuidade do negócio. Por isso, é preciso levar em consideração a percepção dessas figuras.

Dessa forma, é necessário realizar pesquisas e conversas com stakeholders internos e externos para entender quais temas são mais relevantes.

4. Montar a matriz “impacto no negócio” x “importância para stakeholders”

Por fim, com todos esses dados em mãos, é possível montar uma Matriz de Materialidade para a estratégia Sustentável a partir da relação entre o impacto do tema para o negócio e a importância para os stakeholders.

Conclusão

A Matriz de Materialidade apresenta uma oportunidade inédita para as empresas no momento da criação de uma estratégia sustentável.

Dessa forma, para elaborar planos de ação com consistência e assertividade, utilizar ferramentas de gestão como essas facilitam na tomada de decisão.

E aí, gostou dessa metodologia? Impacte a sua empresa de forma positiva com a ajuda dos especialistas em estratégia organizacional da Smart3!

Não perca mais tempo, entre em contato!

CONTATE NOSSOS ESPECIALISTAS!

3 Comments

Leave a Reply

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.